MaxHaus Campo Belo

São Paulo

Project Info
MaxHaus Campo Belo
São Paulo
Área do Terreno: 1,8 mil m²
Área Construída: 8,4 mil m²
Conclusão da Obra: 2013

Nascido do conceito de arquitetura aberta e flexível, o MaxHaus Campo Belo (localizado na zona Sul da cidade de São Paulo) foi idealizado pelo empresário José Paim de Andrade e, juntamente com a Perkins+Will, é o mais significativo representante do seu conceito até o momento. O edifício possui ao todo 68 unidades, todas elas de planta livre, distribuídas pelos 17 pavimentos de uma única torre residencial. Cada uma das unidades possui 70 m² totalmente livre de paredes, com exceção de um core central que encobre o banheiro e o shaft de prumadas. Além dessa flexibilidade, cada uma das unidades permite a união com a unidade para a qual faz divisa; com isso, uma unidade pode se juntar a sua vizinha, tanto horizontal quanto verticalmente, aumentando sua área útil para 140 m², 210 m², 280 m² ou mais, dentro de um sistema componível. Derrubar divisórias entre os apartamentos e rasgos na laje para a escada são soluções que permitem essa flexibilidade. As janelas maxim-ar com vidro duplo laminado são posicionadas estrategicamente para não atrapalhar estas customizações, assim como o concreto aparente do piso e do teto, que adotam a linguagem contemporânea para dispensar outros revestimentos.

Ainda com a intenção de facilitar a flexibilização das unidades, pode-se escolher piso elevado, monolítico ou de PVC, embutindo as instalações. Os itens presentes em todas as unidades são acabamentos e acessórios que valorizam a tecnologia e o design do empreendimento, dentre os quais: ducha alemã, banheiro com piso de mármore piguês, janelas maxim-ar com estrutura de aço inox escovado e interruptores automatizados acionados por um aplicativo Apple exclusivo da MaxHaus. Entretanto, a porta de alumínio estampado é o grande atrativo, pois além de ser um design premiado, possui facilidades como porta-cartas, visor diferenciado, campainha customizada, número do apartamento incorporado ao desenho de cada lâmina e abertura acionada por controle remoto. A seleção destes acessórios e acabamentos releva uma integração entre as soluções residenciais de alto padrão com as de tecnologia de ponta da área corporativa, estendendo esses recursos para as suas áreas comuns.

O edifício segue a linha MaxHaus de construção, porém revela uma evolução dentro do próprio conceito. Sua fachada de desenho e volumes únicos marca uma singularidade em relação aos demais edifícios da marca MaxHaus. Afastando-se do cenário tradicional da solução de fachadas, a Perkins+Will projetou para o edifício um jogo de volumes, cores e linhas para quebrar o ritmo da marcação monótona das janelas de cada andar, revelando os elementos componíveis. Através de enquadramentos e marcações feitos por painéis metálicos ondulados e reflexivos e por chapas de poliestireno de alta resistência, surge uma fachada com diferentes composições onde o próprio concreto em chumbo faz parte do jogo.

O edifício está implantado em um terreno com 1,8 mil m², localizado entre duas ruas de desnível acentuado, possibilitando a execução de dois sobressolos com entrada pela rua Jesuíno Maciel. Com intenção de não tornar esses sobressolos em grandes paredões com elementos vazados para o meio urbano (solução comum nesses casos), a Perkins+Will optou por ceder o recuo à rua que, valorizada por um tratamento paisagístico, forma um pequeno mas importante espaço público de respiro. Para o fechamento dos estacionamentos, réguas verticais de concreto sobem pelos dois sobressolos mais a platibanda, com rasgos para iluminação e ventilação. A entrada de pedestres parece um nicho recuado nessa parede de concreto, sob um grande cubo metálico com o logo do empreendimento. As áreas comuns compreendem piscina, sauna, fitness café e hall de entrada, com o core central todo revestido de madeira e piso e parede de concreto. A arte também está presente no MaxHaus Campo Belo, em seus elevadores de vidro leitoso e painéis touchscreen. No poço do elevador, uma parede de vidro transparente revela desenhos em grafite do artista plástico Loro Verz, acompanhando todo o percurso vertical dos moradores e visitantes até o seu destino.